FNAC

SUBMARINO

sábado, 1 de março de 2008

PLANO DE AULA - LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO

Meu objetivo principal neste planejamento é fazer com que o aluno tenha uma leitura crítica, comparativa. São dois textos distintos, porém com um tema igualitário que é O MEIO AMBIENTE. Podemos trabalhar a diversidade textual e ao mesmo tempo levantar a curiosidade, o conhecimento, a pesquisa, a observação... do aluno para um assunto tão atual. Nosso papel enquanto educadores é transformar o aluno em um leitor crítico. Acredito que este planejamento servirá para FASES IV, 5ª e 6ª séries, com adaptações ao tipo de turma, CLARO. Além de trabalhar também a interdisciplinaridade.














AULA I



1) Vamos ler os textos abaixo com bastante atenção?












TEXTO I








DESMATAMENTO












As florestas são o habitat mais rico e diversificado do planeta. Entretanto, são elas as maiores vítimas do "progresso" - se assim podemos chamar - do homem. As florestas tropicais do mundo estão sendo dizimadas a uma velocidade impressionante. Todo ano, 4 a 5 milhões de hectares são completamente destruídos. Isso significa que, a cada minuto, 12 a 20 hectares desaparecem do mundo diariamente. Além disso, uma espécie animal extinta a cada meia hora. Isso acontece por causa das necessidades do homem em obter matéria-prima, pensando apenas no benefício imediato que isso lhes trará. Algumas das madeiras de lei fornecidas pelas árvores das florestas têm um valor comercial alto. Com a tecnologia moderna, nunca foi tão fácil cortar as árvores das florestas. Máquinas pesadas, como tratores e guindastes, são capazes de devastar grandes porções de floresta com muito mais eficiência do que com os antigos machados. Mas há outras razões por detrás do desmatamento, além da extração de madeira. Os países em desenvolvimento precisam cada vez mais estradas, represas, diques, canais, rede elétrica, tubulações para saneamento. Hoje, em poucos meses, pode-se converter uma grande extensão de floresta em enormes plantações ou fazendas de gado. O desmatamento é também uma forma de se obter espaço, “limpar a terra”, para depois utilizar a mesma para outro fim.
















------------------------------------------------------------------




TEXTO II








A FLORESTA ZANGADA














Todos os animais estavam muito zangados!!
Os homens não paravam de destruir a floresta: cortavam árvores, deitavam lixo no chão, provocavam incêndios, poluíam os lagos e rios... Isto tinha de acabar!!
Nessa tarde, os pássaros foram avisar todos os habitantes da floresta para comparecerem numa reunião a ter lugar nessa noite, junto ao lago.
As árvores foram as primeiras a aparecer, desajeitadas e com grandes passos ruidosos. Afinal só andavam muito de vez em quando.
Quando todos estavam já reunidos, o Lobo, que era o presidente, começou o seu discurso:
- Amigos, isto está impossível!! Eu sugeria que pedíssemos ajuda às crianças e todos juntos arranjássemos uma solução!!
- Apoiado!! – gritaram uns.
- Boa idéia!! – exclamaram outros.
Decidiu-se então que na manhã seguinte, seriam mais uma vez as aves a dar as notícias a todos os miúdos da aldeia.
Quando o Pedro acordou, viu um pássaro que lhe disse:
- Tens que nos ajudar a salvar a Floresta.
O menino não sabia porquê. A ave explicou-lhe que os homens andavam a destruir a Floresta.
O Pedro disse que tinham que avisar os outros meninos. Tinham que ir às casas deles.
À tarde, todos se reuniram junto ao lago.
O Lobo foi o primeiro a falar:
- Estamos muito tristes. A nossa casa está quase destruída!! Que havemos de fazer?
O Pedro teve uma idéia:
- Vamos destruir as casas dos homens para ver se eles gostam.
Todos os habitantes da floresta concordaram.
No dia seguinte, eles foram ao ataque. Claro que os homens não gostaram nada.
Quando viram as suas casas destruídas, perceberam que não deviam estragar a floresta. Pararam de cortar as árvores, de sujar o chão e os rios e de destruir as casas dos animais.
A partir desse dia, os homens, os animais e as árvores ficaram muito contentes.










(3º ano - Escola EB1 nº 7 de Castelo Branco)








1) Como podemos classificar o texto I? Por quê?







2) E o texto II? Por quê?






3) Na sua opinião, eles têm alguma coisa em comum? Justifique sua resposta.




4) O texto I contém quantos parágrafos? Quantos personagens?





5) No texto II temos quantos personagens e e quantos parágrafos?





6) Qual o tema principal do texto I?





7) E o do texto II?





8) Transforme o texto II (literário) em texto informativo.





9) Na região onde você mora, há problemas com o meio ambiente? Justifique.





PARA CASA



10) Procure em jornais ou revistas algum texto cujo tema seja MEIO AMBIENTE.





AULA II -



Reuna os alunos em grupos de 4 no máximo para lerem todos os textos selecionados.



11) Você acha que pode fazer alguma coisa para melhorar o meio ambiente na qual você vive? Exemplifique.





12) Individualmente, crie um texto dissertativo cujo tema é: MEIO AMBIENTE. Observando os parágrafos (mínimo 3 e máximo 5).





13) Faça a leitura dos textos na sala de aula, escolhendo os melhores (tanto na estrutura como nas idéias colocadas) para serem colocados em um mural (mas antes peçam para corrigirem erros ortográficos e gramaticais caso haja algum).



Para o professor como complemento:



O que é dissertação
Dissertar é um ato praticado pelas pessoas todos os dias. Elas procuram justificativas para a elevação dos preços, para o aumento da violência nas cidades, para a repressão dos pais. É mundial a preocupação com a bomba atômica, a AIDS, a solidão, a poluição. Muitas vezes, em casos de divergência de opiniões, cada um defende seus pontos de vista em relação ao futebol, ao cinema, à música.
A vida cotidiana traz constantemente a necessidade de exposição de idéias pessoais, opiniões e pontos de vista. Em alguns casos, é preciso persuadir os outros a adotarem ou aceitarem uma forma de pensar diferente. Em todas essas situações e em muitas outras, utiliza-se a linguagem para dissertar, ou seja, organizam-se palavras, frases, textos, a fim de, por meio da apresentação de idéias, dados e conceitos, chegar-se a conclusões.
Em suma, dissertação implica discussão de idéias, argumentação, organização do pensamento, defesa de pontos de vista, descoberta de soluções. É, entretanto, necessário conhecimento do assunto que se vai abordar, aliado a uma tomada de posição diante desse assunto.



Qualidades de uma dissertação
O texto deve ser sempre bem claro, conciso e objetivo. A coerência é um aspecto de grande importância para a eficiência de uma dissertação, pois não deve haver pormenores excessivos ou explicações desnecessárias. Todas as idéias apresentadas devem ser relevantes para o tema proposto e relacionadas diretamente a ele.
A originalidade demonstra sua segurança e faz um diferencial em meio aos demais textos. Só não se pode, em aspecto nenhum, abandonar o tema proposto.
Toda redação deve ter início, meio e fim, que são designados por introdução, desenvolvimento e conclusão, respectivamente. As idéias distribuem-se de forma lógica, sem haver fragmentação da mesma idéia em vários parágrafos.
Elementos de coesão: Algumas palavras e expressões facilitam a ligação entre as idéias, estejam elas num mesmo parágrafo ou não. Não é obrigatório, entretanto, o emprego destas expressões para que um texto tenha qualidade. Seguem algumas sugestões e suas respectivas relações:
assim, desse modo - têm valor exemplificativo e complementar. A seqüência introduzida por eles serve normalmente para explicitar, confirmar e complementar o que se disse anteriormente.
ainda - serve, entre outras coisas, para introduzir mais um argumento a favor de determinada conclusão; ou para incluir um elemento a mais dentro de um conjunto de idéias qualquer.
aliás, além do mais, além de tudo, além disso - introduzem um argumento decisivo, apresentado como acréscimo. Pode ser usado para dar um "golpe final" num argumento contrário.
mas, porém, todavia, contudo, entretanto... (conj. adversativas) - marcam oposição entre dois enunciados.
embora, ainda que, mesmo que - servem para admitir um dado contrário para depois negar seu valor de argumento, diminuir sua importância. Trata-se de um recurso dissertativo muito bom, pois sem negar as possíveis objeções, afirma-se um ponto de vista contrário.
este, esse e aquele - são chamados termos anafóricos e podem fazer referência a termos anteriormente expressos, inclusive p
ara estabelecer semelhanças e/ou diferenças entre eles.



Fonte: http://www.pciconcursos.com.br/dissertação



BOM TRABALHO.



9 comentários:

  1. Ola Simone! Sou academica do curso de Letras na cidade de Pimenta Bueno (RO).
    Estou fazendo estagio de regência e dando aula de reforço para alunos do 6º e 7º ano do ensino fundamental, e justamente sobre produção de texto, me embasei no seu plano de aula, para montar o meu.Acredito que ficaria mais interessante seu plano se vc colocasse as respostas dos exercícios. abraços Luciana

    ResponderExcluir
  2. mari regina Avelar Molina13 de novembro de 2011 15:03

    Gostei muito do seu plano de aula, este é o caminho, pessoas que se interessam pelo aprendizado de nossas crianças,

    ResponderExcluir
  3. Muito bom seu plano de aula, adorei...

    ResponderExcluir
  4. Muito bom seu plano de aula.

    ResponderExcluir
  5. muito bom me ajudou muito

    ResponderExcluir
  6. Muito bom,vou trabalhar nas aulas de reforço de português,adorei.

    ResponderExcluir
  7. Faço das palavras da Mari Regina as minhas: percebe-se desse plano de aula o comprometimento crítico, atualizado e necessário para o ensino de práticas interpretativas.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  8. Olá Simone, eu estou atuando pela segunda vez como professora e seu trabalho está me ajudando mas concordo com a luciana que você deveria colocar o gabarito das suas perguntas, agradeço antecipadamente pela força. Um abraço

    ResponderExcluir

SEU COMENTÁRIO É MUITO IMPORTANTE!